sosfaroldesantamarta@gmail.com

Facebook: sosfarol

terça-feira, 20 de abril de 2010



Encontro dos pescadores artesanais no Porto Novo, Ibiraquera, reuniu gerações de pescadores do Farol de Santa Marta, Ibiraquera e Garopaba. Com o objetivo de se encontrar, mais de 60 pessoas dessas regiões discutiram a situação atual da pesca e formaram uma comissão de 18 represantantes.
A comissão vai agendar encontro com representantes do governo estadual e federal, para pedir apoio para a criação das Reservas extrativistas do Cabo de Santa Marta Grande e de Ibiraquera.
Após formado o grupo, foi servido o almoço de confraternização marcado com a presença dos mestres da pesca artesanal de Santa Catarina, entre eles Sr. Anastácio da Silveira, anfitrião do encontro; Sr. João Lucindo Farol de Santa Marta; Sr. Alfredo Ibiraquera; Sr Hilário, Garopaba; que preservaram durante décadas a arte da pesca.
O encontro foi provocado no Farol de Santa Marta no dia 24 de março, o qual contou com mais de 100 pessoas para o esclarecimento da portaria 171 da pesca da tainha.


União e Respeito!














Fotos: Carolina Gomez da Silva - Rasgamar

Um comentário:

  1. Achei bem interessante a promoção de um encontro com pescadores, mostrando a real situação da pesca em diferentes comunidades.
    A pesca hoje em nossa região (ilha, abrangendo Ponta da Barra até o Cabo de Santa Marta), mostra o quanto a degradaçao antrópica afetou rapidamente de anos para os dias de hoje.
    Infelizmente, as comunidades que vivem economicamente da pesca, não sabem que a principal causa da "falta de peixes em nossas lagoas", do assoreamento e da poluição, é fato de mal informação desses nativos por órgãos competentes e que visam melhorar a qualidade de vida dessas comunidades.
    O supracitado:"A comissão vai agendar encontro com representantes do governo estadual e federal, para pedir apoio para a criação das Reservas extrativistas do Cabo de Santa Marta Grande e de Ibiraquera", seria uma maneira de resolver parcialmente a situação, e nesse caso a criação de Reservas extrativistas em particular deveria abranger toda a Região da Ilha. Mas o caso de melhorias na pesca artesanal da região não precisaria de um fator de custo tão alto, se ambientalistas fizessem um fórum de debate com os moradores de cada comunidade, ressaltando a importancia da pesca na vida deles, e colocando em prática, atitudes sustentáveis seria muito mais fácil de resolver todo esse problema. Mesmo demorando algum tempo, mas com certeza futuras gerações poderem ainda desfrutar daquilo que nossa região mais oferece, de forma sustentável.
    Assim, apenas um pouco de moderação, como a necessidade de deixar as áreas exploradas periodicamente em pousio já bastaria para que a própria natureza de renove e prospere substituindo seus pais e formando assim as novas gerações.

    é isso ai!
    Bom Trabalho, qualquer ajuda estou por ai!

    Abraços,

    TAMIRIS DOS SANTOS MARTINS - ACADÊMICA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS V - UNISUL

    ResponderExcluir

Participe com sua opinião e sugestão